..

 

BOXER CLUB DE PORTUGAL

 

CENTRO DE DIAGNÓSTICO DE CARDIOPATIAS CONGÉNITAS

 

Para realizar o diagnóstico de cardiopatias no seu boxer deve o proprietário apresentar-se ao veterinário onde deseja realizar o exame levando consigo:

O veterinário deve realizar o exame seguindo as recomendações contidas no presente protocolo, preenchendo o impresso do exame e juntando as imagens requisitadas.

Previamente, antes de enviar o exame para diagnóstico, deverá enviar o valor da leitura oficial para a conta bancária do Hospital Veterinário do Porto.

 

BANCO SANTANDER TOTTA

NIB: 0018 00000 502 812 800151

 

Indicar nome do exemplar, n.º de LOP e nome do proprietário do exemplar que está a pagar.

 
SÓCIOS
NÃO SÓCIOS

Preço do diagnóstico oficial de cardiopatias

25.00
30.00

 

 

Logo que seja depositado o referido valor na conta acima assinalada, deve proceder ao pedido de realização do diagnóstico para a morada do Centro de Diagnóstico de Cardiopatias do BCP;

BCP - CENTRO DE DIAGNÓSTICO DE CARDIOPATIAS
HOSPITAL VETERINÁRIO DO PORTO
Travessa Silva Porto, nº174
4250-475 Porto

IMPORTANTE: (A falta de algum destes documentos impede a realização do diagnóstico).

  • Impresso de pedido de cada diagnóstico devidamente preenchido.
  • As imagens requeridas para cada um dos exames.
  • Fotocópia de Pedigree (onde figurem nome, data de nascimento, sexo, côr e identificação.
  • Fotocópia do recibo de pagamento na conta do HVP.
  • Fotocópia de recibo de pagamento da quota BCP, ano de diagnóstico.

O resultado do diagnóstico será comunicado no prazo médio de duas semanas ao proprietário, ao veterinário que consta no impresso e por e-mail e ao BCP com o envío dos Certificados originais.

Haverá a possibilidade de apresentar recurso ao diagnóstico emitido, por escrito endereçado ao BCP e argumentado pelo veterináio que realizou a radiografia, pagando préviamente 30.00€.

RECOMENDAÇÕES PARA A CORRECTA REALIZAÇÃO DE DIAGNÓSTICO CARDIOPATIAS.

1.

O exemplar ter no mínimo um ano de idade.

Em alguns casos duvidosos deve reavaliar-se o paciente e não se pode emitir um diagnóstico definitivo até aos 2 anos de idade.

2.

Além do exame Eco-doppler, todos os animais devem ser auscultados.

3.

Não deve existir tratameto cardíaco prévio ao exame.

4.

O exame Eco-doppler deve incluir:

A procura de lesões a nível subaórtico, mas também a nível aórtico e supraaórtico, em modo 2D, Doppler de cor e Doppler pulsátil (para determinar o carácter laminar ou turbulento do fluxo transaórtico).

Determinação da velocidade máxima do fluxo sistólico transaórtico (Velocidade máxima em modo Doppler contínuo, com registo electrocardiográfico simultâneo. Esta determinação deverá ser realizada preferencialmente em projecção subcosta ou, na sua impossibilidade, em projecção paraesternal apical esquerda.

Deve efectuar-se o mesmo procedimento para a detecção de estenose pulmunar: Procura de lesões (2D, Doppler de cor w pulsátil) e determinação da velocidade máxima do fluxo sistólico transpulmunar em Doppler contínuo, com registo electrocardiográfico simultâneo.
5.
.
O exame ecocardiográfico deve permitir:

Confirmar ou descartar a presença de cardiopatias.

Nos casos onde exista estenose arterial (aórtica e/ou pulmunar), precisar a sua gravidade e calcular a velocidade máxima e o gradiente de pressão para que possam ser classificadas (AS0, AS1, AS2, AS3: PS0, PS1, PS2 ou PS3).

6.
O leitor oficial deve receber:

O impresso do exame devidamente preenchido.

Uma imagem ecocardiográfica onde se encontre a identificação do animal (nome do proprietário, nome do animal e microchip) e a data da sua realização, mostrando a curva de velocidade do fluxo transaórtico no mínimo de 2 ciclos cardíacos, com registo electrocardiográfico simultâneo, obtido em modo Doppler contínuo a partir de um corte 2D em projecção paraesternal direita ou sub-costal.
Uma imagem ecocardiográfica onde se encontre a identificação do animal (nome do proprietário, nome do animal e microchip) e a data da sua realização, mostrando a curva de velocidade do fluxo transpulmunar no mínimo de 2 ciclos cardíacos, com registo electrocardiográfico simultâneo, obtido em modo Doppler contínuo a partir de um corte 2D em projecção paraesternal direita ou esquerda.

Outras imagens que o veterinário que realiza o exame considere importantes para a formulação do diagnóstico final (Evidências de lesões, Doppler pulsátil de fluxo transaórtico e transpulmunar, etc…).

 
   
BOXER CLUB DE PORTUGAL
DIAGNÓSTICO DE CARDIOPATIAS CONGÉNITAS.

RESUMO ESQUEMATIZADO DOS PASSOS A SEGUIR:

  1. Descarga através do site do BCP do protocolo e impresso de certificado de exame.
  2. Realização do exame seguindo as instruções do protocolo.
  3. Pagamento ao HVP do valor correspondente à realização do diagnóstico.
  4. Envio do certificado de exame juntamente com todos os documentos requisitados.
  5. Recepção do diagnóstico oficial no prazo estabelecido.
 

     

 

© Boxer Club de Portugal